Nutrição para corridas rápidas

Ao longo dos anos, vemos que a nutrição está crescendo cada vez mais e se adaptando, auxiliando em cada necessidade específica dos indivíduos, praticantes de exercício e atletas, tornando-se mais específica e importante para cada tipo de prova e treino. 

Provas e treinos curtos, normalmente, possuem uma intensidade maior do que provas de longa distância, porém demandam uma ingestão energética menor. De qualquer forma, é importante que os nutrientes e suplementos (quando necessário) sejam bem administrados, ajudando a otimizar a capacidade de treinamento, a recuperação e a composição corporal.

SISTEMA ATP-CP E FATORES IMPORTANTES NO TREINO

Em provas e treinos com exercícios de curta distância e rápida duração, visando potência e força máxima, como por exemplo: sprints ou provas de curta distância (100 a 400m e revezamento) e levantamento de peso, utilizamos predominantemente o sistema de energia ATP-CP, que possui duração por volta de 15 segundos, em exercícios intensos.

Neste tipo de treino é preciso que a nutrição auxilie na explosão, no desempenho e na capacidade de sustentar velocidade e ou peso e, também, retardar o tempo de aparecimento de fadiga, otimizando a geração de energia anaeróbica e em períodos longos ou curtos de recuperação pós exercício.

Além disso, a adaptação metabólica ao exercício é imprescindível para a efetividade da utilização prioritária do sistema ATP-CP, bem como o peso e a composição corporal do atleta auxilia no desempenho esportivo.

A estratégia e recomendação alimentar antes, depois e durante (quando necessário) do exercício deve ser ideal para otimizar a capacidade de treinamento, a recuperação e a composição corporal.

weight loss 2036966 - Nutrição para corridas rápidas

RECOMENDAÇÕES

Antes e após os treinos de alta intensidade o ideal é consumir carboidratos para o aporte necessário de energia, imunidade e recuperação do atleta. No pré-treino, é recomendável a ingestão de carboidratos de rápida absorção, sem muita presença de fibras, proteína e gordura, evitando desconforto gástrico e tendo a glicose para ser disponibilizada rapidamente e utilizada como fonte de energia (como citamos no post de carboidratos). Vale ressaltar que a quantidade consumida deve ser sempre orientada de forma adequada e individual.

Sobre a proteína: deve ser fracionada de acordo com a periodização de treinamento, visando recuperação muscular, evitando fadiga e a diminuição do peso muscular do atleta. Muito importante ser também orientada de forma adequada e individual.

Durante treinos e provas desse tipo, o uso de suplementos de carboidratos, é completamente dispensável, a menos que o treino propriamente dito tenha duração de mais de 60’ (excluindo os períodos de descanso).

SUPLEMENTAÇÃO

Em exercícios de curta duração, com predominância do sistema ATP-CP, há evidências para uso de alguns suplementos que auxiliam estes atletas no ambiente de treinamento e competição. São eles, majoritariamente:

  • Cafeína: responsável por diminuir a sensação de esforço ao exercício.
  • Creatina: responsável por aumentar a concentração de creatina intramuscular, auxiliando no sistema energético ATP-CP e, então, no desempenho em exercícios de explosão.

Você pode ler mais sobre os suplementos no post: suplementação 1.

CONCLUSÃO

Provas e treinos de curta duração demandam menos estratégias nutricionais que as distâncias mais longas, porém, este fato não anula a necessidade de uma dieta equilibrada e individualizada, baseada no treinamento, dias de descanso e provas.

A suplementação em um contexto adequada tem o poder de aprimorar o desempenho esportivo e auxiliar ainda mais na potência, força e explosão dos exercícios.

Por: Esther Bevilacqua e Mayara Rogrigues 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *