lesão na corrida

Como prevenir lesões na corrida

A corrida é, com certeza, uma das formas de exercício físico mais praticada pelos seres humanos. Além de ser um gesto motor aprendido nos primeiros anos de vida, pode ainda ser praticada em praticamente qualquer espaço e sem precisar de material específico muito sofisticado.

Apesar de todos os efeitos benéficos da prática de corrida, tem-se observado uma elevada incidência de lesões no aparelho locomotor, sobretudo em membros inferiores, deixando de ser um fato esporádico e tornando-se um fato corriqueiro, no contexto de pessoas que tem uma rotina de treinamento diário. Elas, além de promover dor e frustração, também geram o afastamento das atividades, potencializando as perdas psicológicas, funcionais e de capacidades. 

No esporte profissional as perdas podem ser ainda mais impactantes, causando instabilidade para a carreira e, muitas vezes, acarretando em um abandono pela entidade em que o atleta representa.

Partindo desta introdução, te pergunto; qual é a solução para diminuir o seu risco?

A resposta para isso possivelmente não agradará muitas pessoas, até porque, não é do gosto de todo mundo, principalmente para os amantes de corrida de rua. Acredito que você já deve desconfiado que a resposta para a diminuição da incidência de lesão é o velho e bom treino resistido. A musculação é um mecanismo que vem ganhando relevância no cenário de prevenção e ganho de performance para atletas de corrida.

lesão na corrida

Muitos estudos apontam evidências contundentes que fazem com que a musculação seja uma saída aceitável para a diminuição de lesões .Em uma revisão sobre o tema, Bo Lauersen et al. (2018) diz em seu estudo que treino de força, resulta em um risco relativo de 0,338 em comparação com quem não faz. Ou seja, quem não faz musculação tem uma chance cerca de 3 vezes maior de se lesionar. Os resultados extraídos pelo estudos não levaram em consideração a idade, ou seja, os resultados foram independentes da idade dos participantes.

Além do ganho considerável de força, o treinamento resistido se mostra um importante aliado nos mecanismos de prevenção, com um resultado de ganhos de capacidades coordenativas, diminuindo consideravelmente a sobrecarga articular na execução do movimento da corrida.

Conclusão

Portanto, se você é um amante da corrida, seja de pista ou de rua, profissional ou amador, é importante considerar a hipótese de encaixar um treinamento resistido no seu programa de treinamento de corrida. Além de ajudar no seu rendimento te trará segurança para a realização de seus desafios. 

Lembre, correr é fácil, mas não é simples! 

Por, Marcelo Scolari 

Planilhas de treinamento de corrida

Melhore seus resultados com nosso programa de coach

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *