exercício físico na gravidez

A importância do exercício físico na gravidez.

Já está mais do que comprovado que a prática esportiva é algo indispensável para nossa saúde.  Diversos estudos apontam os benefícios que ela nos proporciona. Entretanto, ainda existe dúvidas em relação aos benefícios da atividade física na gestação.

Vamos ao entendimento!

Antigamente, a gravidez era vista como uma doença terminal, as mamães eram praticamente obrigadas a ficarem confinadas e não existia a possibilidade de recusa de quaisquer tipos de desejos alimentares. Essas crenças absurdas, vem a cada ano caindo. Entretanto, ainda persiste um grande índice de inatividade neste contexto, dados apontando que mais de 70% das gestantes não são regularmente ativas, expondo a sua saúde e a do bebê a inúmeros problemas

exercício físico na gravidez

Embora saber que as causas da inatividade são multifatoriais e, muitas vezes, não dependem exclusivamente da vontade e sim da ocasião, é importante relatar a diferença de uma gestação ativa para uma inativa.

Um estudo recente, publicado na perspectiva online, faz a comparação com 16 mulheres, sendo que dessas, 8 formaram o grupo Gravidez Ativa e as outras 8 compuseram o grupo Gravidez inativa. 

  • Grupo Gravidez ativa: Mulheres que durante agravidez tenham praticado atividades físicas ao menos três vezes por semana com duração de 30 minutos.
  • Grupo Gravidez Inativa: Mulheres que durante agravidez não tenham praticado atividades físicas regularmante. Foram excluídas mulheres que não eram economicamente ativas, que tiveram filhos a mais de 10 anos, que não realizaram normalmente todo o pré-natal.

Resultado

O resultado do estudo mostra que uma das primeiras diferenças perceptíveis entre os grupos foi que as mulheres que não praticaram atividades físicas durante a gestação engordaram em média 4,7 quilos a mais que as mulheres que praticaram atividades físicas durante a gravidez. O American College of Obstetricians and Gynecologists (ACOG, 1994) reconhece que o controle do ganho de peso na gestação e no pós-parto, sofrem influência através do suprimento nutricional adequado estando relacionado com a prática regular de atividade física realizada neste período. Segundo Sebire (2001) as gestantes obesas também apresentam maior probabilidade de terem infecções urinárias e do trato genital inferior aumentando o risco de hemorragia maciça pós-parto e infecção puerperal.

Portanto, fica evidente a diferença entre uma gravidez ativa e uma inativa, os benefícios e malefício da não atividade neste período especial. Espero que os dados apresentados acima possam ter uma influência positiva na decisão de cada mamãe, na realização da atividade física em seu período de gestação. Lembrando sempre que quaisquer atividades devem ser acompanhada por um especialista da área.

Planilhas de treinamento de corrida

Melhore seus resultados com nosso programa de coach

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *