ESTUDO APONTA QUANTIDADE EXATA DE PROTEÍNA PARA CORREDORES

ESTUDO APONTA QUANTIDADE EXATA DE PROTEÍNA PARA CORREDORES

Primeiramente vamos entender o que realmente é PROTEÍNA; basicamente são macromoléculas, compostas por aminoácidos, existem vinte aminoácidos, que se combinam de maneira diferente para formar todas as proteínas conhecidas.

Elas atuam como “tijolos” no nosso organismo, ajudando na formação da estrutura corporal, no metabolismo celular, no transporte de substâncias, na construção muscular, também constituem os anticorpos, formam alguns hormônios, entre outras importantes ações.

Com base nisso, podemos concluir que tem um papel importante para o funcionamento do nosso organismo. Certo?

Exatamente, a proteína é uma macromolécula indispensável para a vida humana , entretanto,  EM DOSAGENS CORRETAS.

QUAL A DOSAGEM CORRETA?

Com base em estudos recentes do cientista Daniel Moore, da Universidade de Toronto, em parceria com a Ajinomoto, do Japão, apresentado no encontro anual do American College of Sports Medicine, em Boston, no início de junho deste ano, mostram com exatidão sobre a quantidade de proteína que o corredor de longas distâncias deve consumir.

Através de uma nova técnica, denominada “indicador de oxidação de aminoácidos”,  foi capaz de mensurar a quantidade de proteína  usadas por um corredor de longas distâncias. Os aminoácidos foram anexados com isótopos de carbono, com intuito de mapear o seu deslocamento.

O estudo foi realizado com seis atletas que tinham um volume semanal de 48 e 128 km. Em um período de três dias, eles foram submetidos a uma dieta padrão e realizaram um protocolo de treinamento que consistia em  10 km no primeiro dia, 5 km no segundo e um contrarrelógio de 20 km no terceiro dia, após cada treino eles ingeriam uma quantidade aleatoriamente atribuída de proteínas(processo foi realizado sete vezes).

Com base nos isótopos foi colhido um mapa das reações fisiológicas indicando aos pesquisadores quais doses de proteína foram suficientes para suprir as necessidades corporais.

Os resultados apontam que a quantidade necessária era 1,65 grama de proteína por quilo de peso para oferecer a quantidade de aminoácidos capaz de reparar músculos e proporcionar a síntese de tecidos musculares. A porção recomendada, com base nesse trabalho, seria de 1,8 grama por quilo ao dia. Entretanto, saiba que cada indivíduo responde de uma maneira específica e temos que respeitar um dos princípios básicos da educação física, a individualidade biológica. Por conta disso é sempre indicado procurar um profissional especializado, para realizar o trabalho adequado.

 

Voltar